Fábio Costa
Se faz necessário transpor a alma através das palavras.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Ausência de inspiração

O poeta sofre.
Sente a ausência da inspiração.
Talvez o que provocava a poesia
Não é mais propulsão, somente sensação.
 
São as dores inenarráveis
Que sufocam o peito dilacerado.
Não havendo dor de amor
Sobra o papel sem traços.
 
A ausência de inspiração não confirma a morte do poeta.
Não é seu atestado de óbito em plena ação.
Sua ausência é sintoma bem-vindo.
É sinal de produção de sentido.
 
E não pense o poeta que engana,
A alma com lampejos de coesão.
O sangue que borbulha em suas veias,
Aguarda a próxima explosão de emoção.
 
E então novos versos nascerão.
Fortes e enraizados na alma aflita.
E ali estará o papel e a tinta
Aguardando a transformação...
 
Não haverá mais ausência e sim um poeta em essência.
Haverá um poema dando voz a enlouquecida razão.

 
Fábio G Costa
Enviado por Fábio G Costa em 09/01/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de Pe. Fábio Costa e o site www.facebook.com/ensaiopoetico). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários