Fábio Costa
Se faz necessário transpor a alma através das palavras.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Sobre o tempo
Fábio Costa
 
Sabe o tempo?
Ele é senhor do meu destino,
Separa o joio do trigo
E devolve a vida ao seu lugar.
 
O tempo é criança que não cresce
Que chora, esperneia e pede
Pede colo, pede doce e esquece
Quão dura a vida pode ser.
 
Ele passa feito vento matinal;
Chega como tarde de primavera feliz
E toca à noite que assusta a alma.
 
O tempo não dorme como eu;
Não tem remorso como o meu
Tem apenas o formato do coração.
 
O tempo pode preencher a solidão
Como pode aniquilar a intenção do mal
Ele é rei despido de trono
Mas cavalga livre em nossas veias.
 
O tempo cura e liberta;
Aprisiona o querer.
Faz hora com o desejo
Purifica o gosto
E desgraça o saber.
 
Esse tempo é hilário
Provoca choro, riso, fiasco
Mas não deixa de conduzir a vida.
E de devolvê-la à inércia,
Onde o atemporal reina
E o sorriso inocente impera.
 
Se é sobre o tempo que escrevo
O que registrei se eternizou;
As contradições e construções da vida
Serão segundos do relógio em mim.
 
O tempo será espelho meu.
Horizonte em potência
Retrovisor em essência.
Será o agora que já morreu.
 
Pe Fábio Costa
Enviado por Pe Fábio Costa em 09/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de Pe. Fábio Costa e o site www.facebook.com/ensaiopoetico). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários