Fábio Costa
Se faz necessário transpor a alma através das palavras.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Metamorfose do inconsciente
 
Tudo estava dentro de mim.
Do pior ao melhor, eu tudo possuía.
Não sabia da força que tinha...
Sabia sim, da fraqueza que me consumia.
 
Uma dor na alma moveu-me para dentro.
Era dor de ser nome de outros.
Produziu náuseas e somatizações.
Espasmos que gritavam por liberdade.
 
Debrucei sobre mim mesmo.
Segurei forte as entranhas do meu ser.
Foi em vão tal movimento.
Incapaz de dissolver neuroses enraizadas.
Mas o que ali dentro permanecia,
Lutava para ser expulso.
Não desejava ser contido, nem emudecido.
Doía por ser algo próprio da existência.
 
Era necessário movimento cirúrgico.
Abrir o ventre para libertar a alma.
Abrir a alma para revelar o próprio eu.
Aquele que eu já era e não sabia.
 
E foi desta expulsão que nasci.
Livre para alçar os voos que escolhesse.
Pronto a desbravar o incompreensível;
Sem algemas para policiar o inter (dito).
 
Fênix avassaladora.
Dor desmistificante.
Asas reluzentes no infinito.
Onde sou, sendo.
Onde fui sem ter permanecido.
Pe Fábio Costa
Enviado por Pe Fábio Costa em 23/04/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de Pe. Fábio Costa e o site www.facebook.com/ensaiopoetico). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários