Fábio Costa
Se faz necessário transpor a alma através das palavras.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Janela do novo
Fábio Costa

 
Ele pediu para abrir a janela.
Abafado estava o ar da sala quase repleta de dias.
Disse mansinho que o ar novo estava para chegar,
Mas era preciso agir.
__ Abra a janela!
Não titubeei. Escancarei a alma sedenta de possibilidades.
O vento fresco e purificador entrou.
No mesmo instante, a carga pesada dos dias que passaram, cessou.
Sentamos por um breve momento e ele discorreu.
Começou acenando as inúmeras possibilidades que chegariam.
Disse para eu não ter medo. Foi em vão.
Olhou nos meus olhos e percebeu a minha fraqueza, então disse:
__ Tudo bem! O novo sempre dá medo.
Desviei o olhar. Era intimidador demais para ser contestado.
Quis perguntar o que me reservava os dias vindouros.
Engoli a seco. Preferi ser desbravador de dias, do que um covarde que prevê cada movimento.
O silêncio imperava entre nós. O frescor do ar enchia meus pulmões.
Tentei experimentar aquele instante com toda intensidade.
E quanto mais fundo eu ia em meus pensamentos, mas ciente da minha pequenez me tornava.
Ele então pediu que eu olhasse o azul do céu lá fora.
Fomos até a janela. A noite chegava de mansinho. Era a última. A derradeira para compor o restante dos dias.
Então ele disse: __ Veja! O que se foi não volta mais. O que virá também não lhe pertence. O que é seu é apenas o seu desejo.
Criei coragem. Respirei fundo e perguntei: __ Terei outras oportunidades?
E sua voz foi sumindo enquanto eu olhava através das grades.
Os últimos dizeres que recordo foram: “os dias do novo ano são repletos de oportunidades. Faça valer”.
Fechei a janela. Sentei-me no sofá.
Cerrei os olhos.
O coração palpitava. Era já ano novo e eu tinha a certeza que teria de fazer tudo de modo novo.
Adormeci e sonhei.
No meu sonho o senhor do tempo me visitava. Despertei sem conseguir distinguir ficção de realidade.

Foto:
Janela 119
Diamantina, Out/2017
By Fábio Costa
Pe Fábio Costa
Enviado por Pe Fábio Costa em 31/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de Pe. Fábio Costa e o site www.facebook.com/ensaiopoetico). Você não pode criar obras derivadas.


Comentários